domingo, 11 de novembro de 2012

A Menina que não sabia ler - John Rarding






"Nunca tinha visto os livros todos de uma só vez e em toda a sua glória. Quase desmaiei de tanta emoção."
                                                                                                                   - Florence -

Olá a todos!! Estava com saudades de postar aqui no blog. Ando sumida, e pela postagem anterior acho que deu para notar que estou bastante estressada, e a semana passada foi uma semana por demais cansativa. Estou necessitando de férias!!! Graças a Deus no feriado, que para mim vai começar na quinta-feira e terminar apenas na terça-feira da outra semana, vou descer para o litoral, sem celular!!! Acho que vai dar para descansar, pois o excesso de preocupações está começando a afetar minha saúde. Mas, vamos ao que realmente interessa, certo?!?! 

A Menina que não sabia ler foi um empréstimo da minha amiga Kelly - que me emprestou logo que comprou e antes de ter lido. Já tinha ouvido alguns comentários sobre o livro, mas não conhecia ninguém que já tivesse lido, então ele foi uma total novidade. Logo que vi que a história se passava em um casarão antigo, possivelmente assombrado, e cheio de mistérios envolvendo os antepassados de Florence de Giles, fiquei super interessada e a leitura foi super rápida.

Um breve resumo da história: Florence e Giles são meio-irmãos que vivem em um casarão no interior dos Estados Unidos (mas me fazia ter a sensação de que estava na Inglaterra), sem terem conhecido seus pais que haviam morrido eles apenas sabem que são mantidos por um tio, que vive em Neva Iorque, mas a quem não conhecem pessoalmente e que não tem qualquer preocupação com os dois. Por determinação deste tio, Florence, por ser mulher, é impedida de aprender a ler, enquanto Giles é enviado para um internato. A menina, porém, desde que havia entrado na grande biblioteca da mansão, que permanecia fechada e proibida, havia se apaixonado pelos livros e acabara por aprender a ler sozinha.

Florence demonstra sempre uma amor incondicional pelo irmão mais novo e sempre se preocupa com sua segurança e seu bem-estar. Além de Giles, Florence tem Theo, um amigo que vem visitá-la constantemente quando está com sua família no campo. A garota passa a vida lendo seus livros pelos cantos sombrios da casa, sem que os criados a incomodem, até que, depois de um semestre no internato, Giles volta para casa com a notícia de que não deverá continuar estudando lá e com a orientação de que o tio deverá contratar uma preceptora.

A primeira preceptora a chegar à mansão sofre um estranho acidente e morre, então, para substituí-la, chega a Sra. Taylor, e a partir dai as coisas começam a ficar estranhas, e sem que a gente consiga compreender se o comportamento estranho da mulher é real ou se tudo decorre da imaginação da garota. 

Agora minha opinião, portanto, spoilers!!!

Gostei muito do clima de mistério do livro, apesar de que, esperava um pouco mais de descrições do casarão e esperava mais fantasmas também, mas a narrativa, em muitos momentos, faz a gente prender a respiração e o coração disparar. O grande mérito, para mim, nesta história, é o clima de suspense que o autor consegue criar.

Realmente eu passei a maior parte da história deste pequeno livro - apenas 282 páginas - sem saber ao certo se tudo o que estava acontecendo estava apenas sendo imaginado por Florence, que, assim como Vincente ou como Dom Quixote, vivia mais no mundo dos livros do que no mundo real, portanto, com uma percepção equivocada da realidade. 

O raciocínio de Florence era o que mais me intrigava, a forma como ela sempre concluía pelo absurdo, mas depois me dei conta de que ela é uma criança, por isso, para ela era mais provável que a nova preceptora fosse uma "reencarnação" da antiga preceptora do que apenas uma mulher enérgica. Acontece que algumas coisas bem reais começam a apontar para o fato de que Florence pode estar certa, é por isso que não temos como ter certeza do que está acontecendo.

Assim que terminei o livro pensei que não gostei do final, mas, analisando melhor, percebi que não é que não gostei do final, mas sim, que o final me deixou com uma sensação de mal estar, afinal, só posso concluir que Florence é uma psicopata ou esquizofrênica - o diagnóstico fica por conta de alguém que entenda de psicologia. A forma como ela planeja e executa seus atos para proteger seu irmão de algo que pode ou não ser real é assustador.  

O que me chamou mais atenção em seu comportamento foi que ela derramou "uma ou duas lágrimas" tanto por pensar no cavalo passando a noite no frio, como por seu amigo Theo... essa frieza é coisa de psicopata!! Sinceramente, agora posso dizer que gostei da história, acho que daria um ótimo filme, e acredito que quem estuda psicologia iria adorar ler e analisar o comportamento da garota!!
Só mais um detalhe, acho que a história poderia bem ter uma continuação!!!

Agora, cá estou eu lendo O Inverno do Mundo, porém, como ele é meio grande e como eu odeio carregar muita bagagem nas minhas viagens, vou levar como companheiro no feriadão o Contos de Terror e de Mistério do Edgar Allan Poe.



Tá ai mais uma dica, beijos e boas leituras!!!
Fefa Rodrigue

9 comentários:

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Oi Fefa!

Que saudades!

Eu não tinha pensado na Florence com opscicopata,mas tem razão, psico totla! mas eu gostei do livro, o clima de suspense e sombrio é muito legal, e a escrita é bem envolvente.

Adorei Inverno do Mundo, você vai gostar bastante porque agora ele foca no seu assunto preferido: II Guerra Mundial. E adoro Poe, então nem preciso dizer nada.

Meu feriado começa na quinta também, mas acredita que eu tenho que trabalhar na segunda? Vou dar aula pra quem, eu queria saber. Boa viagem!

Beijos!

LuRussa disse...

Oi Fe !!!

genial né ?

Eu sou suspeita pra falar, adoro Ken Follett e tenho um ranking dos livros dele pra mim, os que mais gostei foram :

1- Pilares da Terra
2- O Homem de São Petersburgo
3- Queda de Gigantes
4- Fim do Mundo
5- A chave de Rebeca

Já terminei Queda de Gigantes, é fantástico, só perda para Os Pilares da Terra que eu acho inigualável.

( eu nunca comento aqui pq dificilmente eu consigo, as letras e os numeros q tem q escrever aqui embaixo nunca são aceitos, tento novamente mas depois acabo desistindo )
bjosss

Fefa Rodrigues disse...

É lu eu preciso tirar essa moderação, vc não é a primeira a reclamar hehehe!!!

Estou louca para ler O Homem de São Petersburgo e A Chave Rebeca!!!

PIlares da Terra eu li apenas o volume 1... preciso adquirir os demais!!!

CMachado disse...

Olá amiga do coração!!!
Finalzinho de 2012 pra vc agito total né!!?? Mas é bom só não é quando começa a prejudicar, que bom esses dias de folga vc voltará revigorada.

Sabe isso de uns dias de tranquilidade é coisa séria mesmo, estive de férias e fui conhecer Floripa, Fefa que dias relaxantes, como voltei revigorada, precisamos mesmo de ficar sem fazer nada e sair p/ outros ares.

Sobre a menina... não gostei e agora que vc falou acho que como filme na classificação filme de terror gostaria mais. Acho que não estava preparada para atitude da Florence no final...

Que legal, vc vai ler Poe, eu não quiz levar esse livro p/ as férias, estou cheia de frescura para ler, terror só em casa (rsrsr)

Terminei Grandes Esperanças, antes de terminar o ano de aniversário dele li algo como comemoração, afinal a escrita de Dickens não tem pra ninguém.
Bjk

Fefa Rodrigues disse...

Orquidea que saudades mesmo!!!

Acredita que comprei Grandes speranças nessa última semana? Estava em São Paulo, fui na Cultura e não resisti!!! Comprei pq ouvi que vai ter o filme sobre o livro né?!?

Nossa e que delicia Floripa heim!!! Eu vou pra ILha Bela, só espero que o tempo colabore né...

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Oi Fefa!

Ai, vamos por partes, como gosta Jack ;D

Inverno do Mundo: MARAVILHOSO! Você com certeza vai gostar.

The casual vacancy: acho que o erro de muita gente foi achar que por ser da Rowling ela iria fazer algo mais próximo de Harry Potter. Mas 1) ela avisou que era um livro adulto; e 2) é um livro independente, o que ela também tinha avisado. E ela soube de desvencilhar de Harry com maestria, mas sem perder o estilo de escrita leve e irônica. Só que desta vez com menos pudores, até pela mudança de público. Então, eu recomendo que leia sim, é uma história muito boa, e uma crítica social ainda mais crua que Harry. E, sim, as chances de você gostar são grandes, já que eu gostei.

E, Fefa, sou nerd com orgulho! Melhor que ser periguete, pelo menos penso ;D

Beijos!



Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Fefa,

esqueci de dizer que minha irmã leu Marina e adorou. Ela falou que ficou com medo ;D

Beijos!

Nadia V. disse...

Eu amei A Menina que não Sabia Escrever. E não acho que deveria ter uma continuação. O que eu mais gostei foi de ficar pensando sobre os acontecimentos depois. Mil ideias surgiram na minha mente. Não sei se foi proposital ou se foi erro da edição, mas meu livro veio com umas 10 páginas em branco no final. Fiquei com a sensação de que deveria escrever mentalmente tudo o que pensei sobre ele. :)
Beijo

P.S. A verificação de palavras você tira em configurações/postagens e comentários/ mostrar verificações de palavras. Aí é só colocar 'não' e salvar as configurações. ;)

Cintya Hikari Aihara disse...

Sim!!!!!!!!!!! Concordo totalmente.
Acabei de le-lo, e estou meio agoniada.
Tinha gostado da Florence no início,mas depois.... Recusei-me a acreditar que ela agia daquela maneira, até mesmo para uma criança!
O fato do amigo dela ter morrido por culpa dela, e ela não ter ficado nem um peso na consciência...